terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

São Lourenço/MG - Fev/2011 - Vivendo o lado Cuca da vida.



 
A postagem desse passeio é dedicada à memória do meu grande amigo Cuca, que tenho certeza  estará lá de cima sempre me acompanhando nos momentos em que eu estiver com as duas rodas nas estradas, vivendo o lado Cuca da vida.

 


Local : São Lourenço / MG

Evento : Viagem para encontrar com o meu amigo de Belo Horizonte, o Seu Cuca.

Data de Ida : 03/02/11 - 06:15 hs
Data do Retorno : 05/02/11 - 16:45 hs

Sem paradas na ida e na volta

Km percorridos na ida : 380 Km
Km percorridos na volta : 336 Km
Odômetro total : 44.444

Hospedagem
03/02/11 - Hotel Fazenda Estoril
04/02/11 - Hotel Gobo de São Lourenço


Esse passeio de fevereiro/2011 até a cidade de São Lourenço foi um tanto quanto repentino e inusitado.
No dia 02/02 (quarta-feira) na parte da tarde o meu amigão Cuca, de Belo Horizonte/MG, havia postado no fórum mototuristas.net que no sábado iria até São Lourenço para pesquisar as condições do Hotel Fazenda Estoril, que na realidade.fica localizado na cidade de Soledade, logo após São Lourenço.
Quando li a postagem do Cuca, respondi que naquele sábado eu já estava com compromisso marcado no Rio, mas que se por acaso ele deixasse para ir no próximo sábado então eu iria ao seu encontro em São Lourenço.
O Cuca então respondeu " Vamos amanhã ? ".
Eu achei que ele estivesse de brincadeira e tive que perguntar se estava falando sério, no que ele me respondeu que sim.
Pedi que esperasse até que eu conseguisse entrar em contato com minha esposa para saber se teria algum problema se no dia seguinte eu fizesse uma viagem bate e volta até São Lourenço.
Após eu ter conseguido meu alvará de soltura marquei com o Cuca que às 12:00 hs nos encontrariamos na Praça em frente ao Parque das Águas de São Lourenço.
Na quinta-feira às 06:15 hs saí de Maricá e às 09:30 hs estava chegando no pedágio da Rodovia Presidente Dutra em Itatiaia, sem paradas, então achei que chegaria bem antes do horário marcado com o Cuca e resolvi afrouxar a mão no acelarador para seguir minha viagem na faixa de 80 km/h, curtindo o restante da paisagem, que por sinal foi show, pois decidi que ao invés de subir pela serra seguiria pela Dutra até o Estado de São Paulo, para entrar na cidade de Cruzeiro e alcançar a SP-52, que segue até Passa Quatro e somente a partir dali seguir pela serra.
A idéia de esticar um pouco a viagem foi excelente, pois a SP-52 está uma maravilha e quase não passaram outros veículos por mim, fora que a 80 km/h fui só curtindo a paisagem.
Durante toda  a viagem fiz apenas uma única parada, 21 Km após ter passado pela cidade de Cruzeiro, pois avistei um belvedere bem legal, a 1.800 metros de altitude, conhecido como Belvedere "A Santa," com uma imagem de Nossa Senhora  Aparecida e resolvi tirar umas fotos.
Às 12::20 hs cheguei no ponto de encontro e foi uma grande satisfação rever meu amigão Cuca e sua filha Dani.
Após um rápido bate-papo fomos fazer um lanche e depois seguimos em direção ao Hotel Fazenda Estoril, a uma distância de 16 km do Centro de São Lourenço.
Um pouco antes de chegarmos ao hotel minha moto apagou na estrada e não consegui identificar qual era o defeito, mas notei que ao passar de 5.000 rpm o motor apagava, depois conseguia fazer com que pegasse novamente e a cada vez que chegava em 5.000 rpm morria de novo.
Nesse "pega e morre" conseguimos chegar até o hotel e daí o que seria uma viagem bate e volta se transformou em bate e fica, pois deixamos o baú e mochilas no hotel e pegamos estrada de novo para o centro da cidade a fim de procurar uma concessionária da Yamaha, só que no meio do caminho a moto parou de vez, então o Cuca foi com a Dani procurar a Concessionária para tentar levar um mecânico até onde eu estava enguiçado.
A vida em cidade de interior é outra coisa mesmo, pois durante um trecho em que eu empurrei a moto procurando uma sombra, passei por uma casinha bem humilde e na porta surgiu um senhor que gritou perguntando seu eu precisava de gasolina, então agradeci e disse que era problema na injeção eletrônica.
Mais a frente um outro senhor em uma 125cc passou por mim e voltou para saber se eu estava precisando de ajuda, mas falei que estava só procurando uma sombra, já que meu amigo havia saído em busca de um mecânico.
Após encontrar uma sombra deixei a moto no acostamento e sentei na calçada esperando o retorno do Cuca.
Após um tempo o Cuca retornou e em outra moto veio o Rodolfo, mecânico da Kandô Motos, a Concessionária da Yamaha em São Lourenço, que logo trocou a vela e fez teste de centelha, sem que o problema estivesse ali, depois trocou a central e também nada de resolver, tendo ainda sido testados os fusíveis, mas nenhum problema com eles.
Cogitamos de que fosse problema na bomba de gasolina, mas essa estava sendo acionada normalmente quando viravamos a chave e para fazer teste de pressão somente levando a moto para a concessionária.
Apenas quando pressionavamos o botão do start a luz  de código de erros do painel acendia junto, piscando muito rápido por umas 5 a 7 vezes e apagava, mas segundo o mecânico essas piscadas não eram de código de erro.
O mecânico então ligou para a concessionária e pediu para que outro mecânico levasse o Scanner para tentar descobrir o que estava acontecendo, mas após ter passado o scanner não adiantou, pois acusava um erro de sensor do virabrequim desregulado, o que de acordo com o mecânico não seria o caso para o defeito que a moto apresentava.
Resolveu-se por rebocar a moto para a concessionária, mas a pick-up estava em outra cidade, então os mecânicos conseguiram um caminhãozinho fretado por apenas R$ 20,00 e assim levamos a moto, com um pouco de esforço para subir com a moto devido a altura da caçamba do caminhão.
Chegando na concessionária da Yamaha Kandô Motos fomos muito bem recebidos, tanto pelos vendedores como também pelo gerente, o Sr. Marcelo, que nos deram muita atenção e durante bastante tempo ficamos conversando, inclusive ganhamos bonés da concessionária.
Durante toda a tarde e até às 20:00 hs os mecãnicos Rodolfo e Vinícius se empenharam em tentar solucionar o problema na moto, mas após terem testado todos os componentes elétricos  não conseguiram localizar a a origem do problema com a moto, então começaram a suspeitar de que fosse algum problema no chicote, mas somente no dia seguinte continuariam a mexer na moto.
Saímos da Kandô Motos e fomos comer umas pizzas e beber umas cervejas em companhia do mecânico Rodolfo, que se ofereceu para me dar uma carona até o Hotel Estoril, pois caso contrário o Cuca faria duas viagens ou eu teria que ir de moto-taxi.
Após comermos as pizzas voltamos para o Hotel Estoril e foi uma carona de risco andar de carona na XTZ 125, sem alça de garupa, com aquele banco fininho e com o Rodolfo, que como piloto é um ótimo mecânico, parecendo até que estava com labirintite e problemas de visão noturna, pois ficava invadindo a pista da esquerda e não enxergava os quebra-molas na estrada, fora que ainda fomos parados em uma blitz e o Cuca teve que se explicar com o policial por estar sem a habilitação que esqueceu em casa, mas por sorte ele já havia sido parado em outra blitz pela manhã e tinha recebido um salvo conduto enquanto estivesse em São Lourenço.
Enfim chegamos ao Hotel e fomos dormir, mas ainda enquanto estavamos no Centro de São Lourenço o Cuca havia ligado para sua esposa e para o seu genro Marcos, combinando de que eles viessem ao nosso encontro no dia seguinte pela manhã.
No dia seguinte pela manhã ainda enquanto tomavamos o café da manhã a Fofa (Srª Cuca) chegou de carro então tratamos de fechar nossa conta no Hotel Estoril, já que não havia comocontinuarmos hospedados no local por falta de algumas condições essenciais para um mínimo de conforto.
Enfim, sugeri que fossemos até o Hotel Globo, uma vez que o Cuca precisava conhecer as instalações e dar seu parecer sobre a viabilidade de nos hospedarmos naquele hotel durante mais um dia que ficariamos na cidade, bem como verificar se seria uma boa opção de hospedagem para indicarmos à galera que compareceria ao MegaCycle no mês de abril.
Na saída do Hotel Estoril o Cuca me autorizou fazer um test drive na FZ6, então pilotei a possante até o Hotel Globo, ficando maravilhado com a facilidade em conduzir a moto, principalmente nas curvas.
Após chegarmos ao Hotel Globo fizemos um reconhecimento de todas as instalações e decidimos que ali ficariamos hospedados durante nossa permanência na cidade, pois reunia todos os requisitos para uma hospedagem confortável e agradável, sem luxos, mas atendendo perfeitamente as necessidades dos hóspedes.
Deixamos as bagagens nos quartos e junto com o Cuca seguimos para a Kandô Motos,  enquanto a Fofa e  Dani ficavam curtindo a piscina do hotel.
Por volta de umas 12:00 hs chegamos na concessionária e soubemos que ainda não haviam descoberto a origem do defeito na minha moto, então ficamos durante algum tempo trocando uma idéia com o pessoal da concessionária e inclusive fomos convidados a descer até a oficina para ver o andamento dos trabalhos na Fazer, que estava toda desmontada.
Da concessionária seguimos para o banco e depois fomos comprar algumas roupas pra mim, pois não fui preparado para uma viagem de bate e fica.
De volta ao Hotel Globo estavamos nos preparando para nos juntarmos à Fofa e Dani na piscina quando o Marcos, namorado da Dani chegou ao Hotel, então durante o restante da tarde relaxamos um pouco, curtindo uma bela de uma piscina em um dia de muito sol.
Já de tardinha nos arrumamos e voltamos até a Kandô Motos, sendo que dessa vez a moto estava pronta e o Rodolfo explicou que o problema havia sido um mal contato na ignição, mas como na concessionária não havia em estoque a ignição nem os parafusos de travamento, então foi feita uma ponte que eliminasse o contato da ignição que estava causando o problema.
Interessante foi que após todo esse trabalho com a moto me cobraram apenas R$ 50,00 de mão de obra, o que achei bem barato se comparado com os valores normalmente cobrados pelas revisões.
Após agradecermos a galera da Kandô Motos, elogiando a todos pelo excelente atendimento, nos despedimos, mas antes convidamos o Rodolfo para que mais tarde fosse novamente ao nosso encontro para batermos um papo e comermos umas pizzas.
Após muitas histórias e gargalhadas durante os comes e bebes encerramos a noite em uma sorveteria.
No sábado após o café da manhã ficamos batendo um papo no hotel até uma 12:00 hs, quando então arrumamos as bagagens e pegamos estrada de volta para nossas casas.
Na viagem de volta a Fazer se comportou muito bem, mas no meio do trânsito tive um pouco de dificuldade por terem instalado o pedal das marchas mais baixo do que normalmente uso, bem como o guidão que ficou um pouco mais para frente.
Na trajeto de ida eu havia pego a estrada que passa pela cidade de Cruzeiro, mas na volta resolvi descer a serra para verificar as condições, já que em abril voltaremos em grupo e muito provavelmente a galera vai querer subir pela serra.
A partir do Centro de São Lourenço rodei 66 km em excelente condição de estrada na serra, mas exatamente no limite MG x RJ a estrada começou a ficar ruim, cheia de buracos e mal sinalizada.
Com 77 km de descida a estrada piorou ainda mais, pois começou um trecho que estava em obras e vira e mexe surgiam muitos buracos, bem como trechos de terra, fora um pedaço em que a estrada estava em meia pista devido a uma obra de contenção de barreira.
Com um total de 98 km enfim cheguei na Rodovia Presidente Dutra e a partir daí tudo foi bem tranquilo até chegar em casa, com um total de 4h30min na viagem de volta sem paradas.
Na ida rodei 380 km e na volta 336 km, mas pela pequena diferença acho que vale muito mais a pena evitar a serra e fazer a subida e descida de São Lourenço através da cidade de Cruzeiro/SP.
O que para muitos teria sido uma viagem desagradável por conta do problema com a moto, para mim foi uma maravilhosa viagem, com a estadia em São Lourenço na companhia de excelentes amigos e ainda por ter saído de lá com novas amizades que fizemos na Concessionária Yamaha Kandô Motos, inclusive no domingo o telefone tocou lá em casa e para minha surpresa era o Rodolfo querendo saber se eu havia chegado bem.
Meu muito obrigado ao amigão Cuca, Fofa, Dani e Marcos por terem ficado em São Lourenço me fazendo companhia enquanto o problema na moto não era resolvido e posso dizer de todo coração que vocês são nota 1.000 !!!!!!!!!
Meus agradecimentos também a toda a galera da Kandô Motos, em especial ao Marcelo, Rodolfo, Vinicius e Bruno.
A Cidade de São Lourenço que nos aguarde, pois em abril estaremos de volta para o MegaCycle.


Belvedere "A Santa" - Serra da Mantiqueira - Cruzeiro/SP

 




São Lourenço/MG
Ponto de Encontro em frente ao Parque das Águas












Odômetro parcial na chegada em São Lourenço.
Essa foto foi tirada quando abasteci, assim cheguei na cidade.


Hotel Estoril - Soledade de Minas/MG






A moto enguiçada











 

Pizzas e cervejas após uma tarde exaustiva



 Meu Test Drive na FZ6 do Cuca






 





Minha moto desmontada na oficina da Concessionária Kandô Motos




Fotos da oficina





O mais novo garoto propaganda da Yamaha


A Concessionária Yamaha Kandô Motos



Marcos na Z750 e Cuca na FZ6


Hotel Globo de São Lourenço



Fachada do Hotel
Saguão da Recepção


Recepção


Corredor de um dos 3 andares dos quartos


Vista da janela de um dos quartos de frente


Quartos de frente




Quartos de fundos




Banheiros


Salão de Jogos



Sala de TV


 Jardim de acesso à piscina


Salão utilizado para estacionamento das motos


Área de estacionamento para carros


Área de Lazer, Piscina e Sauna












Final de noite em uma sorveteria
Tudo "Azul Beleza"


Igreja Matriz de São Lourenço


Odômetro total após a viagem